Fechar

Política de Cookies

Seção 1 - O que faremos com esta informação?

Esta Política de Cookies explica o que são cookies e como os usamos. Você deve ler esta política para entender o que são cookies, como os usamos, os tipos de cookies que usamos, ou seja, as informações que coletamos usando cookies e como essas informações são usadas e como controlar as preferências de cookies. Para mais informações sobre como usamos, armazenamos e mantemos seus dados pessoais seguros, consulte nossa Política de Privacidade. Você pode, a qualquer momento, alterar ou retirar seu consentimento da Declaração de Cookies em nosso site.Saiba mais sobre quem somos, como você pode entrar em contato conosco e como processamos dados pessoais em nossa Política de Privacidade.

Seção 2 - Coleta de dados

Coletamos os dados do usuário conforme ele nos fornece, de forma direta ou indireta, no acesso e uso dos sites, aplicativos e serviços prestados. Utilizamos Cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade, sendo que o usuário concorda com essa utilização ao aceitar essa Política de Privacidade.

Seção 3 - Consentimento

Como vocês obtêm meu consentimento? Quando você fornece informações pessoais como nome, telefone e endereço, para completar: uma solicitação, enviar formulário de contato, cadastrar em nossos sistemas ou procurar um contador. Após a realização de ações entendemos que você está de acordo com a coleta de dados para serem utilizados pela nossa empresa. Se pedimos por suas informações pessoais por uma razão secundária, como marketing, vamos lhe pedir diretamente por seu consentimento, ou lhe fornecer a oportunidade de dizer não. E caso você queira retirar seu consentimento, como proceder? Se após você nos fornecer seus dados, você mudar de ideia, você pode retirar o seu consentimento para que possamos entrar em contato, para a coleção de dados contínua, uso ou divulgação de suas informações, a qualquer momento, entrando em contato conosco.

Seção 4 - Divulgação

Podemos divulgar suas informações pessoais caso sejamos obrigados pela lei para fazê-lo ou se você violar nossos Termos de Serviço.

Seção 5 - Serviços de terceiros

No geral, os fornecedores terceirizados usados por nós irão apenas coletar, usar e divulgar suas informações na medida do necessário para permitir que eles realizem os serviços que eles nos fornecem. Entretanto, certos fornecedores de serviços terceirizados, tais como gateways de pagamento e outros processadores de transação de pagamento, têm suas próprias políticas de privacidade com respeito à informação que somos obrigados a fornecer para eles de suas transações relacionadas com compras. Para esses fornecedores, recomendamos que você leia suas políticas de privacidade para que você possa entender a maneira na qual suas informações pessoais serão usadas por esses fornecedores. Em particular, lembre-se que certos fornecedores podem ser localizados em ou possuir instalações que são localizadas em jurisdições diferentes que você ou nós. Assim, se você quer continuar com uma transação que envolve os serviços de um fornecedor de serviço terceirizado, então suas informações podem tornar-se sujeitas às leis da(s) jurisdição(ões) nas quais o fornecedor de serviço ou suas instalações estão localizados. Como um exemplo, se você está localizado no Canadá e sua transação é processada por um gateway de pagamento localizado nos Estados Unidos, então suas informações pessoais usadas para completar aquela transação podem estar sujeitas a divulgação sob a legislação dos Estados Unidos, incluindo o Ato Patriota. Uma vez que você deixe o site da nossa loja ou seja redirecionado para um aplicativo ou site de terceiros, você não será mais regido por essa Política de Privacidade ou pelos Termos de Serviço do nosso site. Quando você clica em links em nosso site, eles podem lhe direcionar para fora do mesmo. Não somos responsáveis pelas práticas de privacidade de outros sites e lhe incentivamos a ler as declarações de privacidade deles.

Seção 6 - Segurança

Para proteger suas informações pessoais, tomamos precauções razoáveis e seguimos as melhores práticas da indústria para nos certificar que elas não serão perdidas inadequadamente, usurpadas, acessadas, divulgadas, alteradas ou destruídas.

Seção 7 - Alterações para essa política de privacidade

Reservamos o direito de modificar essa política de privacidade a qualquer momento, então por favor, revise-a com frequência. Alterações e esclarecimentos vão surtir efeito imediatamente após sua publicação no site. Se fizermos alterações de materiais para essa política, iremos notificá-lo aqui que eles foram atualizados, para que você tenha ciência sobre quais informações coletamos, como as usamos, e sob que circunstâncias, se alguma, usamos e/ou divulgamos elas. Se nosso site for adquirido ou fundido com outra empresa, suas informações podem ser transferidas para os novos proprietários para que possamos continuar a vender produtos e serviços para você

Fale conosco

A contabilidade da sua empresa de um jeito simples e prático!

Publicado em 20 de March de 2023
Jornal Contábil

Muito se fala do espírito empreendedor brasileiro. E realmente é realidade, porque hoje o país ocupa uma das primeiras posições no índice de empreendedorismo inicial entre mais de 50 países do mundo.

Mas qual o perfil desse empreendedor? Quais as suas características, as suas dores e principalmente, o que faz com que esta força se faça presente tanto em tempos de dificuldade quanto em tempos de prosperidade. 

Este artigo tem como principal objetivo trazer a luz sobre estas questões e entender porque cada vez mais brasileiros estão abrindo seus negócios próprios e criando um ecossistema virtuoso de sucesso e realizações.

O que é ser empreendedor?

Existem muitas definições de empreendedor, mas ficamos com aquela que para nós mais se aproxima da realidade brasileira e é utilizada pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. 

“Ser empreendedor significa ser um realizador, que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação” 

Existem muitos motivos que levam uma pessoa a empreender e vamos falar mais disso em seguida, mas sem dúvida o que se destaca, é o desejo de ter um negócio próprio a partir de uma ideia, de um sonho. Muitos brasileiros empreendem por necessidade, mas não se surpreenda se falarmos que muitos se descobrem verdadeiros empreendedores justamente na necessidade.

Ganhar dinheiro através de um trabalho que você domina, tem controle e despende a energia que acredita necessária, é um dos aspectos que alimentam o espírito de liberdade, inerente ao empreendedorismo.

Qual o perfil do empreendedor brasileiro?

Em uma pesquisa (2019), o SEBRAE elencou algumas características que definem o empreendedor brasileiro. Em linhas gerais ele tem de 18 a 30 anos, é movido por um sonho mas precisa ganhar dinheiro, ou seja, não tem a vida feita. 

O brasileiro que empreende é oriundo de áreas que possibilitam ser profissional liberal (Pessoa Jurídica ou Autônomo) e quer iniciar um pequeno negócio, sozinho ou com pessoas próximas. Normalmente tem algum capital próprio – economias – ou conhece formas de captação. É um profissional que não abre mão do conhecimento amplo, ou seja, amplia seus horizontes porque sabe que não dá para entender apenas do seu negócio.

Ter um emprego para o empreendedor brasileiro é importante, mas ter um trabalho é fundamental. Sabe que as dificuldades são muitas, com burocracia, falta de incentivo, parcas formas de acesso ao crédito e mercado ainda incipiente, mas acredita que com trabalho a realização acontece. Não tem a expectativa de ficar rico ou ter o primeiro milhão em pouco tempo. É um perfil totalmente é no chão na relação “sonho x realidade”

Uma característica importante do empreendedor brasileiro é a noção de espaço. É curioso por outras áreas e busca conhecimento, mas investe fortemente no seu negócio, não se furtando a busca de suporte especializado nas atividades em que não possui expertise.

A família também é outro ponto importante. Muitos que empreendem vem de família empreendedora ou tem apoio familiar para começar. 

O empreendedor até 24 anos

No recorte até 24 anos, ou seja, empreendedores que ainda estão na universidade ou são recém formados, nada menos que 80% já haviam cogitado ter um negócio próprio antes dos 18 anos. Destes, cerca de 33% realizaram algum tipo de capacitação específica para empreender e continuaram se capacitando ao longo da sua – ainda curta – jornada.

Como é um público bem específico, normalmente oriundo da academia, não é uma surpresa que entenda que o conhecimento – formal e informal – são decisivos para o sucesso nos negócios. Muitos se aproximam de incubadoras empresariais e investidores anjos, apresentando projetos que merecem ser vistos.

Como falamos no início, o Brasil é pródigo em empreendedores jovens, possuindo a 4a maior taxa de empreendedorismo inicial (entre 53 países) para negócios de até 3,5 anos de existência.

As razões para empreender no Brasil

A CONAJE (Confederação nacional dos jovens empresários) entre os anos de 2018 e 2019 realizou uma ampla pesquisa com cerca de 6000 jovens empresários entre 18 e 39 anos e elencou alguns dados importantes para a busca do perfil do empreendedor brasileiro.

Um fato que se destaca é que cerca de 70% do público diz ter ensino superior ou pós graduação. A maioria tomou a decisão de empreender motivado pelo sonho de ter um negócio próprio (25%) e identificação de uma oportunidade de negócio (25%). Cerca de 18% empreenderam para ter mais independência. 

Por outro lado, 12% dizem que viam oportunidade em continuar o negócio da família, 11% queriam mais flexibilidade de horários e apenas 9% identificaram como motivo a necessidade de uma fonte de renda.

Quanto ao apoio para empreender, 27% procurou o SEBRAE, tradicional suporte aos novos negócios. Porém 23% não procurou apoio nenhum, o que representa que um quarto dos novos empreendedores ainda acreditam muito na intuição, o que pode ser um caminho não tão recomendado. Neste caso é importante levantar a bandeira de alerta porque 23% buscaram apoio da internet para iniciar seu negócio. Mesmo que a rede hoje seja uma fonte importante e confiável, ficar apenas com informação tácita pode também ser perigoso para um novo negócio. Entre os que não buscam nenhum suporte e os que confiaram na internet apenas, chegamos ao percentual de 50% dos entrevistados. Apenas 10% procuram apoio na universidade através de incubadoras e da própria instituição.

Quase uma unanimidade, as questões relativas à contabilidade e finanças (30%), gestão de pessoas (27%) e trâmites de abertura e planejamento (25%) são as principais dores internas de quem já abriu o negócio. 

Quais os principais entraves externos na opinião do empreendedor brasileiro?

Segundo a pesquisa da CONAJE, os empreendedores entendem que os principais problemas para empreender no Brasil estão relacionados a carga tributária elevada (48%) e burocracia (30%). A concorrência da informalidade também prejudica muito os novos negócios (22%), bem como a legislação complexa (20%) e muitas vezes incompreensível para quem não tem conhecimento do tema. Outros pontos que aparecem na pesquisa como dificultadores são a falta de acesso ao crédito (20%), falta de um ecossistema empreendedor (17%) e logística (8%).

Quais as principais competências necessárias ao empreendedor brasileiro?

Algumas competências são inerentes ao empreendedor brasileiro e são importantes para compor o seu perfil. São elas:

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias