Fechar

Política de Cookies

Seção 1 - O que faremos com esta informação?

Esta Política de Cookies explica o que são cookies e como os usamos. Você deve ler esta política para entender o que são cookies, como os usamos, os tipos de cookies que usamos, ou seja, as informações que coletamos usando cookies e como essas informações são usadas e como controlar as preferências de cookies. Para mais informações sobre como usamos, armazenamos e mantemos seus dados pessoais seguros, consulte nossa Política de Privacidade. Você pode, a qualquer momento, alterar ou retirar seu consentimento da Declaração de Cookies em nosso site.Saiba mais sobre quem somos, como você pode entrar em contato conosco e como processamos dados pessoais em nossa Política de Privacidade.

Seção 2 - Coleta de dados

Coletamos os dados do usuário conforme ele nos fornece, de forma direta ou indireta, no acesso e uso dos sites, aplicativos e serviços prestados. Utilizamos Cookies e identificadores anônimos para controle de audiência, navegação, segurança e publicidade, sendo que o usuário concorda com essa utilização ao aceitar essa Política de Privacidade.

Seção 3 - Consentimento

Como vocês obtêm meu consentimento? Quando você fornece informações pessoais como nome, telefone e endereço, para completar: uma solicitação, enviar formulário de contato, cadastrar em nossos sistemas ou procurar um contador. Após a realização de ações entendemos que você está de acordo com a coleta de dados para serem utilizados pela nossa empresa. Se pedimos por suas informações pessoais por uma razão secundária, como marketing, vamos lhe pedir diretamente por seu consentimento, ou lhe fornecer a oportunidade de dizer não. E caso você queira retirar seu consentimento, como proceder? Se após você nos fornecer seus dados, você mudar de ideia, você pode retirar o seu consentimento para que possamos entrar em contato, para a coleção de dados contínua, uso ou divulgação de suas informações, a qualquer momento, entrando em contato conosco.

Seção 4 - Divulgação

Podemos divulgar suas informações pessoais caso sejamos obrigados pela lei para fazê-lo ou se você violar nossos Termos de Serviço.

Seção 5 - Serviços de terceiros

No geral, os fornecedores terceirizados usados por nós irão apenas coletar, usar e divulgar suas informações na medida do necessário para permitir que eles realizem os serviços que eles nos fornecem. Entretanto, certos fornecedores de serviços terceirizados, tais como gateways de pagamento e outros processadores de transação de pagamento, têm suas próprias políticas de privacidade com respeito à informação que somos obrigados a fornecer para eles de suas transações relacionadas com compras. Para esses fornecedores, recomendamos que você leia suas políticas de privacidade para que você possa entender a maneira na qual suas informações pessoais serão usadas por esses fornecedores. Em particular, lembre-se que certos fornecedores podem ser localizados em ou possuir instalações que são localizadas em jurisdições diferentes que você ou nós. Assim, se você quer continuar com uma transação que envolve os serviços de um fornecedor de serviço terceirizado, então suas informações podem tornar-se sujeitas às leis da(s) jurisdição(ões) nas quais o fornecedor de serviço ou suas instalações estão localizados. Como um exemplo, se você está localizado no Canadá e sua transação é processada por um gateway de pagamento localizado nos Estados Unidos, então suas informações pessoais usadas para completar aquela transação podem estar sujeitas a divulgação sob a legislação dos Estados Unidos, incluindo o Ato Patriota. Uma vez que você deixe o site da nossa loja ou seja redirecionado para um aplicativo ou site de terceiros, você não será mais regido por essa Política de Privacidade ou pelos Termos de Serviço do nosso site. Quando você clica em links em nosso site, eles podem lhe direcionar para fora do mesmo. Não somos responsáveis pelas práticas de privacidade de outros sites e lhe incentivamos a ler as declarações de privacidade deles.

Seção 6 - Segurança

Para proteger suas informações pessoais, tomamos precauções razoáveis e seguimos as melhores práticas da indústria para nos certificar que elas não serão perdidas inadequadamente, usurpadas, acessadas, divulgadas, alteradas ou destruídas.

Seção 7 - Alterações para essa política de privacidade

Reservamos o direito de modificar essa política de privacidade a qualquer momento, então por favor, revise-a com frequência. Alterações e esclarecimentos vão surtir efeito imediatamente após sua publicação no site. Se fizermos alterações de materiais para essa política, iremos notificá-lo aqui que eles foram atualizados, para que você tenha ciência sobre quais informações coletamos, como as usamos, e sob que circunstâncias, se alguma, usamos e/ou divulgamos elas. Se nosso site for adquirido ou fundido com outra empresa, suas informações podem ser transferidas para os novos proprietários para que possamos continuar a vender produtos e serviços para você

Fale conosco

A contabilidade da sua empresa de um jeito simples e prático!

Publicado em 04 de julho de 2022
Globo

As empresas controladas pela União tiveram lucro líquido de quase R$ 188 bilhões em 2021, recorde histórico e o triplo da cifra verificada no ano anterior, conforme a nova edição do relatório agregado das estatais federais, que será divulgado pelo Ministério da Economia nesta sexta-feira e foi obtido pelo Valor.

Cerca de 98% do resultado positivo provém das “big five” do setor público: Petrobras (R$ 107,3 bilhões), BNDES (R$ 34,1 bilhões), Banco do Brasil (R$ 19,7 bilhões), Caixa Econômica Federal (R$ 17,3 bilhões) e Eletrobras (R$ 5,7 bilhões).

A equipe econômica ressalta, contudo, que o desempenho positivo está mais espalhado. Das 28 estatais não dependentes do Tesouro Nacional, só quatro encerraram o ano passado com prejuízo: Infraero, Companhias Docas do Rio (CDRJ), Companhia Docas do Ceará (CDC) e Pré-Sal Petróleo (PPSA). Outras duas estão atrasadas e ainda não fecharam seus balanços financeiros. Em 2017, eram nove estatais no vermelho.

“É evidente que uma empresa como a Petrobras influencia bastante o resultado agregado, mas pode-se observar melhoria geral. Quase todas as companhias tiveram uma evolução notável em seus desempenhos”, diz o secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, Ricardo Faria.

O ministério usa esses dados, inclusive, como argumento em defesa da Lei 13.303/16 - conhecida como Lei de Responsabilidade das Estatais. O Centrão, com apoio de setores do governo, cogita mudanças na lei para facilitar indicações partidárias. A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou ser favorável à flexibilização e criticou o que ela chama de 

 

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link https://valor.globo.com/brasil/noticia/2022/07/01/estatais-triplicam-lucro-e-tem-desempenho-recorde.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.

Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

“É necessário preservar a Lei das Estatais, que sustentou uma revolução nos padrões de gestão e governança, melhorou a qualidade da entrega e reduziu riscos fiscais”, acrescenta o secretário.

De acordo com Faria, a lei viabilizou uma profissionalização das diretorias executivas e dos conselhos, além do reforço da estratégia de remunerações variáveis aos gestores como incentivo à obtenção de resultados melhores (os salários fixos estão praticamente congelados desde 2017).

Outras iniciativas com impacto nos resultados, segundo ele, contemplam programas de demissão voluntária (PDVs) e maior coparticipação dos funcionários nos planos de saúde das empresas. No ano passado, entre aposentadorias e desligamentos, o número total de empregados nas estatais encolheu 4,4% (20.560 pessoas).

Apesar do discurso pró-manutenção da Lei de Responsabilidade das Estatais, no Ministério da Economia, a indicação do ex-secretário Caio Mário Paes de Andrade à presidência da Petrobras deixou sérias dúvidas sobre o cumprimento dos pré-requisitos para o cargo. Ele não tinha experiência prévia no setor de óleo e gás, pelo menos quatro anos como alto funcionário da administração pública ou passagens por empresas privadas de dimensões semelhantes.

De 2020 para 2021, o resultado líquido agregado das 46 empresas estatais - 28 não dependentes e 18 dependentes do Tesouro - aumentou de R$ 60,6 bilhões para R$ 187,7 bilhões. O pagamento à União de dividendos e juros sobre capital próprio relativos aos anos anteriores subiu de R$ 5,4 bilhões para R$ 43 bilhões.

As maiores evoluções nos resultados de um ano para outro foram verificadas na Hemobrás (variação de 3.798%), Petrobras (1.617%), Ceagesp (1.118%), Codeba (996%) e Banco da Amazônia (177%). Os principais retrocessos anuais foram percebidos na CDC (-10.635%), CDRJ (-1.062%), PPSA (-111%) e Emgepron (-25%).

O relatório, que chega à sua terceira edição, está sendo lançado no dia de despedida de Diogo Mac Cord da Secretaria Especial de Desestatização - responsável também pelo monitoramento e governança das empresas públicas.

Nos primeiros 20 meses do governo Jair Bolsonaro, como secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura no Ministério da Economia, Mac Cord foi peça-chave nas negociações entre o Executivo e o Congresso para a aprovação do novo marco legal do saneamento básico. Depois, ao ser promovido e substituir Salim Mattar em agosto de 2020, assumiu protagonismo no processo de privatização da Eletrobras.

Ao fazer um rápido balanço de sua passagem pelo governo, Mac Cord avaliou: “O principal desafio foram as mudanças legislativas, que exigiram um esforço enorme de negociação com o Congresso e de esclarecimento junto à sociedade. Mas a transformação mais profunda, e talvez menos evidente, tenha sido na agenda imobiliária: a Secretaria de Patrimônio da União tem um contingente de quase 1.500 pessoas e um patrimônio de R$ 1,5 trilhão, e as deficiências eram enormes - desde falta de sistemas até problemas graves de governança. A secretaria foi profissionalizada: batemos o recorde histórico de vendas e uma grande inovação virá em breve, com os novos fundos imobiliários.

 

Compartilhe nas redes sociais
Facebook Twitter Linkedin
Voltar para a listagem de notícias